Aluga-se Um Marido - 05/05/2008 Página Serviço.

Aluga-se Um Marido  -  05/05/2008 Página Serviço.

P10100211.jpg
SERVIÇO
-
Anderson Faz (quase) tudo para resolver problemas domésticos alheios.


Aluga-se um marido



Marcelo Chaves


Se a descarga de casa não funciona, a torneira da cozinha não para de pingar e a pórta do quarto está emperrada, não se desespere. Isso é serviço para o marido de aluguel. Isso Mesmo, ele está disponível a qualquer hora do dia ou da noite, para dar solução àqueleprobleminha que aparece repentinamente e que a maioria dos maridos titulares não quer nem de longe perceber, quanto mais resolver.

Muito comum nos Estados Unidos, esta nova modalidade de profissão começa a se propagar pelas grandes cidades do Brasil. Em Brasília, tem sido uma novidade muito bem recebida pelas mulheres. Elas aderiram ao modismo e, a qualquer imprevisto doméstico, sabem a quem pedir auxílio. Que o diga Anderson Bahia, 37 anos, que virou uma espécie de super-herói dessas donas de casa desesperadas, parafraseando a famosa série de TV.

Natural de Anápolis (GO),sele chegou a Brasília no ano passado. Assistia a uma reportagem na TV e viu que a inusitada profissão fazia sucesso nos EUA, há 9 anos. "Logo tive a idéia de tentar fazer o mesmo aqui em Brasília. Decidi fazer um teste e ver se teria uma boa receptividade", relembra.

Foi questão de tempo para ver a sua idéia virar mania entre o público  feminino. "Não esperei que fosse ser tão aceito e solicitado", conta. No entanto, logo no início do negócio, Anderson passou por situações bem cômicas, sem falar nas saias justas que emfrentou.

"Quando chegava sexta-feira eu praticamente desligava os celulares, tamanha a quantidade de mulheres que recebiam meus folhetos de progaganda e se confundiam achando que meu trabalho não consistia somente em manutenção", conta. Segundo ele agumas o convidavam até para tomar uma cerveja e bater papo. "Nunca aceitei. Foi um longo período até o assédio cessar e eu poder trabalhar normalmente", registra.

Um bom marido de aluguel que se preza tem que saber fazer de tudo um pouco. Desde instalar um varal, computador ou prateleira, até trabalhos mais complexos, como regulagem de anten e desentupimento de pias e ralos. "Costumo dizer que sou um clínico geral, quando os assuntos são
consertos, restaurações e manutenções em residências", revela.


Adesão

A contadora Flávia Leme é uma das adeptas do modismo do marido de aluguel. ela sempre solicita o serviço, quando enxerga algo fora de sintonia em seu apartamento na Asa Sul. "Gosto da praticidade e ele é bem ágil. Em vez de chamar um bombeiro ou marceneiro, que fazem serviços específicos,prefiro ele, que faz de tudo um pouco, com rapidez, atendendo inclusive nos finais de semana e feriados", diz ela.

Casada com o empresário Bernardo Cavalcante, Flávia ressalta que seu marido não não se importa em ela utilizar o serviço. "Como Bernardo é fá da praticidade, ele também acha conveniente eu utilizar este tipo de trabalho" emenda Flávia.

Outra simpatizante da novidade é a advogada Edila Oliveira, que não pensa duas vezes em chamar o marido de aluguel, em caso de necessidade. "Ele traz os materiais e não temos que sair de casa para comprar nada. Eles chegam com tudo em mãos e, em poucos minutos, executam o conserto e a manutenção", destaca a advogada.

Único no segmento em Brasília, Anderson enfrentou o ciúme da esposa, no início da profissão Superou e hoje pode dizer que o essencial para se prestar um bom trabalho é nunca deixar de manter a qualidade dos serviços e entender de quase tudo, atributos indispensável para um perfeito marido de aluguel.

Alguém se habilita?